A Prefeitura de Hulha Negra avança na obra do terminal rodoviário do município, retomada no mês passado, após permanecer parada por mais de cinco anos. O secretário municipal de Obras, Serviços Públicos e Trânsito, Wagner Tavares, estima que, até o final

A Prefeitura de Hulha Negra avança na obra do terminal rodoviário do município, retomada no mês passado, após permanecer parada por mais de cinco anos. O secretário municipal de Obras, Serviços Públicos e Trânsito, Wagner Tavares, estima que, até o final de maio, os servidores públicos já terão concluído a colocação das vigas de sustentação e contrapiso da estrutura, o que deve liberar o empreendimento para que seja feita uma licitação visando a sua conclusão. A expectativa do governo municipal, segundo ele, é entregar a estação até o início do ano que vem.
De acordo com Tavares, atualmente, a obra se encontra cerca de 25% concluída. Os servidores municipais estão concluindo a ferragem das vigas de respaldo e forma. O contrapiso deve começar a ser colocado amanhã. “Com esta intervenção, devemos economizar cerca de R$ 60 mil dos cofres públicos para a licitação”, declara o secretário.
Tavares salienta que, após uma atualização dos valores, foi levantado que a obra está orçada em aproximadamente R$ 320 mil, que serão custeados através de emenda pública destinada pelo deputado federal Afonso Hamm e contrapartida do Executivo Municipal. A estrutura contará com área de 320 metros quadrados, além das coberturas para os ônibus.
O secretário destaca que, além de permitir que o município economize o aluguel do prédio utilizado atualmente, a estação também servirá como ponto turístico. “Teremos uma estrutura com praça de alimentação, área de lazer e comércio. Fora que também vamos ter uma rodoviária mais atrativa para as pessoas que passarem por aqui”, afirma.
A construção da estrutura foi iniciada em 2011, na época em que Tavares assumiu a pasta pela primeira vez, durante o antigo mandato do atual prefeito de Hulha Negra, Renato Machado, do Progressistas. Segundo o secretário, após a troca de mandato, o governo que assumiu em 2012 não deu procedência ao projeto. Com a volta de Machado, em 2017, e o posterior retorno de Tavares, como titular da secretaria, a obra voltou a ser debatida pelo Executivo.

Fonte: Jornal Minuano

Data de publicação: 08/05/2018

Créditos: Jornal Minuano

Créditos das Fotos: Joanes Araujo

Compartilhe!